segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

PSOL confirma: vai fazer oposição a João Salame


Na última plenária do PSOL, ocorrida no sábado (1º), no auditório da UFPA, a militância do partido aprovou por unanimidade (e preventivamente) que fará oposição ao governo de João Salame (PPS), “por entender que este governo não representa mudança, mas sim o ‘continuísmo’ dos governos anteriores, bem como a obediência ao capitalismo e exclusão da sociedade miserável”.
Em carta do Diretório Municipal do PSOL, envida à sociedade marabaense, o partido diz que a vitória de João Salame pela coligação composta pelo PT, PMDB, PDT, PHS, PV, não representa a mudança de verdade tão propalada no período eleitoral.
Ainda de acordo com o documento, mesmo sem representação na Câmara Municipal de Marabá, o PSOL será vigilante, de oposição ao governo do PPS/PT e PMDB, por considerar que o governo de Salame representará de fato o “continuísmo das práticas autoritárias com base na sua composição que está sendo realizada numa coalizão que atende os interesses dos políticos que se perpetuam no poder em Marabá”.
“Consideramos decisiva a construção de uma frente de ação política e social, que busque articular para a luta os movimentos e as forças sociais do campo e da cidade por uma cidade sustentável”, diz o documento.

Salame diz que provará que o PSOL está errado
Em resposta João Salame diz que respeita a posição do PSOL, pois o Brasil é um País democrático e o PSOL é uma legenda organizada à sombra da lei. “Como tal, tem todo direito de manifestar a sua posição”, ratifica João Salame.
Todavia, o prefeito eleito considera uma “pena” o fato de o PSOL não ter paciência com ele, que nem assumiu a prefeitura ainda, e, mesmo assim, já assumiu uma postura de enfrentamento.
Mas Salame observa que o resultado o PSOL na última eleição majoritária em Marabá, ficando em último lugar, perdendo até mesmo para César do Comércio, um candidato que se lançou na última hora e que estava numa legenda de menor expressão, “demonstra que a sociedade vê com reticência esse radicalismo exacerbado”.
“Cabe a mim, como prefeito eleito, mostrar que o PSOL está errado e fazer um trabalho que contemple os interesses da ampla maioria da população de Marabá, que é o que eu vou fazer”, garante Salame.

Nenhum comentário: