segunda-feira, 30 de abril de 2012

Cotas para os negros

Tenho ouvido muita coisa desde que o STF considerou constitucional as cotas para negros nas universidades públicas.
As expressões que mais ouço são “capacidade”, “força de vontade”, “direitos iguais” etc.
Vamos lá: quando os escravos foram libertados no Brasil, eles passaram a trabalhar nas propriedades dos barões, sem direitos trabalhistas, sem teto, sem posses, sem nada; apenas com a força de trabalha sendo muito mal paga.
Até mais ou menos 1935, no Brasil, a opressão ainda era gigantesca sobre os negros. Veja que faz pouco tempo.
Onde eu quero chegar? Os negros (pelo menos a imensa maioria) sempre foram oprimidos e vêm sobrevivendo com pouco acesso à educação, saúde, mercado de trabalho.
Você já viu algum branco de olhos azuis pedindo esmolas?
Então se existe uma parcela da sociedade que tem menos acesso à educação de qualidade é óbvio que esta mesma parcela vai ter mais dificuldade para entrar na universidade. E não se trata de falta de “capacidade” ou de “força de vontade”. Trata-se de falta de oportunidade.
Continuando: se esta mesma parcela sem acesso à educação é composta em sua maioria por negros, então as cotas poderão corrigir um pouco desse problema social.
É lógico que as cotas ainda são uma solução frágil, mas é melhor do que do jeito que estava e se trata de um primeiro passo.


Operação Fio de Ouro: Semac apresenta documentos e contesta denúncia


Nos últimos 20 dias o Ministério Público, com apoio da Polícia Civil, fez duas operações em secretarias municipais, causando alvoroço no centro administrativo da prefeitura. O último caso ocorreu na Secretaria de Ações Comunitárias (Semac), durante a “Operação Fio de Ouro”, que investigava possível fraude na realização de cursos profissionalizantes na área de manicure, cabeleireiro, corte e costura e outros.
Sobre o assunto, a secretária de Ações Comunitárias, Lucia Mendes, e a coordenadora de Projetos da Semac, Jezabel Lopes Braga, procuraram este blog, munidas de farta documentação, para dizer que não existe irregularidade alguma nos cursos.
Lúcia Mendes e Jezabel mostraram uma série de documentos que, segundo elas, deixam claro não ter existido superfaturamento e também que os cursos foram realizados, sim. Além disso, elas afirmam que prestaram conta de tudo.
Ainda de acordo com os documentos apresentados por elas, no ano passado, foram licitados R$ 1,392 milhão, para todos os cursos. Mas R$ 606 mil, para qualificar aproximadamente 7 mil pessoas. São Números bem menores do que os valores anunciados na mídia inicialmente.
A secretária disse achar estranho o fato de nunca ter sido procurada pelo Ministério Público para apresentar as documentações.
Já o prefeito Maurino Magalhães também falou sobre o assunto. ele comparou as recentes operações do Ministério Público com apoio da Polícia Civil com a época do regime militar.
O prefeito afirma, inclusive, que já recebeu e respondeu mais de duas mil notificações do MP e da Justiça. Maurino até brincou com isso: “Vou entrar no livro dos recordes”.
Na avaliação de Maurino, o que existe é uma perseguição política contra ele.

Saque dos Minérios

Na manhã de hoje (3) estudantes de Agronomia e de outros cursos de Marabá e região fizeram caminhada pelas ruas da Nova Marabá como parte da campanha contra o saque dos minérios.
No centro das reclamações, obviamente, a Mineradora Vale, mas também as prefeituras taxadas de coniventes com esse processo de saque das riquezas minerais da região.
A iniciativa faz parte de uma agenda de lutas dos movimentos que integram a campanha de combate ao saque dos minérios.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Operação Fio de Ouro: Ministério Público investiga mais fraudes na prefeitura

Neste momento está em curso mais uma operação do Ministério Público que visa descobrir fraudes supostamente praticadas por agentes da Prefeitura de Marabá.
Desta vez o MP se concentra na Comissão de Licitações da Prefeitura, que funciona no prédio do Saci, e novamente na sede da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin).
Trata-se da “Operação Fio de Ouro”, que busca investigar altos montantes de dinheiro empregados na realização de cursos de cabeleireiro, manicure e corte e costura, como forma de qualificar a mão de obra local.
A fraude, segundo apura o Ministério Público, consiste no fato de que alguns desses cursos nunca teriam sido ministrados, enquanto outros estariam superfaturados.
A responsável pela realização dos tais cursos é a Empresa Dirceu Erênio Pedras, que funciona na Avenida 5 de Abril, Marabá Pioneira, e o recurso é oriundo da Secretaria Municipal de Ações Comunitárias.
De acordo com uma fonte ligada ao MP, somente no ano passado foram aplicados R$ 6 milhões nos tais cursos profissionalizantes. Para este ano já estão licitados R$ 4,5 milhões.
Ainda segundo a mesma fonte, cada curso estaria avaliado em R$ 19 mil, mas o preço de mercado fica em torno de R$ 5 mil.
Agora o Ministério Público quer que a prefeitura comprove a realização dos cursos por meio de nome e endereço completo dos beneficiados, além de fotos da entrega dos diplomas.
E neste momento o Ministério Público está recolhendo todo tipo de documento que possa comprovar algum indício de fraude.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

HMI - Terá jeito?


Todos nós temos que fazer pequenas concessões todos os dias e grandes de vez em quando para viver em “sociedade”. Mas quando se trata de vidas humanas não pode haver concessão.
É o que ocorre no Hospital Materno Infantil. Os médicos que lá trabalham são os mesmos que atuam nas clínicas particulares, onde o atendimento é geralmente bom. Então por que no hospital público a situação está do jeito que está?
Respondo: por que falta estrutura (pelo menos 90% dos problemas se devem a isso).
Estou dizendo isso só pra elogiar a atitude do médico que esta semana teve a coragem de registrar um boletim de ocorrência policial denunciando a precariedade total da única maternidade pública de Marabá e região.
Ele fez o certo, sim, porque é um caso de polícia. Ele não fez concessões para isso e nem poderia. Não fechou os olhos para o problema como fizeram seus superiores.
É lógico que esse profissional vai sofrer represálias, mas ele parece disposto a enfrentá-las.
E nós? Estamos dispostos a que tipo de sacrifício pelos nossos semelhantes?

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Franco da Construfox morre de infarto


Por volta das 23 horas de ontem (23), o empresário Daniel Franco, dono da Construfox (fábrica de asfalto), morreu em casa na Folha 17, de infarto fulminante. Ele tinha 56 anos e era pai de oito filhos.
A última pessoa com quem ele falou foi o filho, também chamado Daniel. De acordo com informações de amigos da vítima, os dois conversaram rapidamente e Daniel Franco subiu para o quarto. Em seguida, o rapaz escutou um barulho e correu até lá para ver o que tinha acontecido. Deparou-se com uma cena que jamais esquecerá.
Daniel Franco havia sofrido um ataque do coração, mas ainda respirava. Sem perder tempo, o filho chamou o Samu, mas quando os socorristas chegaram já era tarde. Daniel Franco estava morto.
Começava aí a triste rotina de quem perde um parente. Ter que dar a notícia aos outros. O fato é que a informação circulou rapidamente por telefonemas, mensagens via celular e pelas redes sociais.
Em questão de horas, a rua em que Daniel Franco morava estava tomada de carros. Amigos e demais familiares chegavam a todo momento. Alguns deles ainda alimentavam a esperança de que tudo não passara de um alarme falso. Mas não era.
Daniel Franco nasceu no Rio de Janeiro e morava havia muitos anos no Pará, primeiro em Belém e depois em Marabá.

Tuitaço nesta terça (24) mobiliza consumidores e defende o ressarcimento de R$ 7 bilhões

Nesta terça-feira (24/4), a Frente de Defesa dos Consumidores de Energia Elétrica promove um tuitaço com a hashtag #erronacontadeluz para mobilizar o maior número de pessoas pelo ressarcimento de R$ 7 bilhões, cobrados indevidamente dos consumidores de todo o Brasil, no período de 2002 a 2009, por conta de um "erro" no cálculo de reajuste das tarifas de energia elétrica. A Frente de Defesa dos Consumidores de Energia Elétrica é uma iniciativa conjunta da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Fundação Procon-SP e Proteste.
A ação no Twitter - e também no Facebook - faz parte da campanha “TCU: o erro não foi nosso. Devolução já!”. O objetivo da mobilização nas redes sociais é  reunir o maior número de assinaturas de consumidores na petição que será enviada aos ministros do Tribunal de Contas da União (TCU).

quinta-feira, 19 de abril de 2012

MP e polícia começam a desvendar a Máfia da Piçarra

Com apoio da Polícia Civil, o Ministério Público realizou busca e apreensão em duas secretarias da Prefeitura de Marabá (Finanças e Obras) nesta tarde (19), na tentativa de encontrar documentos que comprovem fraude de R$ 20 milhões na compra de piçarra para obras públicas.
Oficialmente a prefeitura já teria repassado cerca de R$ 7 milhões desse montante para a empresa M. M. Fronzak. O problema é que o empresário, dono da firma, Marcelo Fronzak, afirma que não viu a cor de todo esse dinheiro. “Fiquei rico sem saber”, declarou.
Por outro lado, no Portal Transparência está confirmado o repasse de algo em torno de R$ 4 milhões.
A pergunta que se faz é: Pra onde está indo essa grana?

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Riqueza para quem?

O Brasil é hoje a sexta maior economia do mundo. No futebol, o que se vê é um série de grandes jogadores ganhando muita grana. Os bancos brasileiros – muitos deles – têm lucros maiores do que os bancos dos Estados Unidos. Algumas das lojas da Avenida Paulista vendem mais do que lojas do centro comercial de Nova York.
É isso: “O Brasil é um país tropical abençoado por Deus e bonito por natureza”.
Parece ser um lugar lindo e onde o dinheiro flui por todos os lados. Mas sabemos que não é bem assim.
O que explica o fato de um País tão belo e tão rico ser palco de tantas mazelas e tantas desigualdades?
Eventos como o Massacre de Eldorado mostram como estranha pode ser a humanidade; quão mesquinhas podem ser as pessoas.
Foram 21 mortos (19 na hora e dois depois em conseqüência do baleamento) por causa de um lote de terra, numa região onde o que mais existe é isso: terra.
Definitivamente o Brasil não é um país rico, mas sim um país de poucos ricos e muitos pobres, que sofrem no calor dos protestos, como os de ontem na Curva do S.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

A vida...

Apesar do placar elástico (se é que pode se chamar assim) na disputa sobre o aborto dos anencéfalos, esta é uma discussão extremamente complexa.
A quem compete decidir quem vive e quem morre?
Quando a questão é avaliada diante do prisma mais racional possível, o “correto” é permitir a interrupção da gravidez, afinal de contas o bebê vai ter pouco tempo de vida. Talvez apenas algumas horas.
Mas existe diferença entre ser arrancado do útero, sufocado e esquartejado, ou ter uma morte digna deitado num berço e cercado dos cuidados daqueles que o amam.
Para muitos, não existe diferença, até porque o feto anencéfalo nem vai saber mesmo o que passa em sua volta. Mas é dever da humanidade respeitar a dignidade alheia.
E aí? Como fica?
Se eu soubesse, responderia no final deste artigo, mas não sei. Não consegui formar opinião e não gostaria de estar na pele dos ministros que decidem esses dilemas.
Só sei de uma coisa, apesar da decisão tomada, este assunto não se esgota por aqui.
E para mim não se trata de religião ou coisa parecida. Trata-se de algo que vai mais além do que orações, almas, perdão, paraíso purgatório...

terça-feira, 10 de abril de 2012

“A morte sem colete”

“O político corrupto é pior do que o pistoleiro, do que o assassino de encomenda.
Este, o homicida, por mais psicopata e inescrupuloso que seja, tem um alvo certo, conhece sua vítima, estuda como fazer e depois vai lá e mata.
O político corrupto não. Ele mata ao acaso.
Pelas mãos dele, morrem a mulher gestante, a criança, o idoso, o pobre...
O político corrupto, além de assassino, é covarde.”
Gosto muito de filmes brasileiros e ouvi o discurso acima num deles. Ficou marcado para mim. Não precisei de gravador nem de Internet para transcrever essas palavras, porque elas tocaram fundo na minha alma.
Quando leio os jornais, quando assisto a TV, ouço rádio ou encaro ao vivo o povo morrendo por falta de atendimento na saúde; as crianças sem escola; gente sem emprego e os meninos desnutridos juntando sucata para não morrer de fome, penso nisso.
Sinto uma solidão que não tem comparação com quase nada que eu possa explicar.
É como se você fosse extremamente religioso, estivesse à beira da morte e, de repente, descobrisse que não existe Deus.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Semed: Ney Calandrini exonerado

Ney Calandrini de Azevedo não é mais o secretário municipal de Educação. A notícia foi confirmada no final desta manhã e pouca gente na prefeitura tem conhecimento do assunto ou mesmo dos motivos que levaram o prefeito Maurino Magalhães (PR) a tomar essa decisão.
A primeira informação é de que a saída de Ney Calandrini teria sido motivada por articulação política, pois o prefeito teria negociado o controle da Secretaria Municipal de Educação (Semed) com o PT, para que a legenda se coligasse com o PR para o pleito de 7 de outubro.
Mas o presidente do Diretório Municipal do PT, Luiz Bressan, disse no início da tarde que nunca houve tal proposta e que ele ainda não estava sabendo da exoneração de Ney Calandrini do comando da Semed.
Pela manhã, Calandrini disse que desconhece sua exoneração e se mantém como titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed). “Não pedi pra sair; ainda sou secretário”, afirmou naquele momento.
Ele, por outro lado, confirmou que recebeu realmente a proposta de ser candidato a vereador, mas depois de avaliar a situação junto com a sua família, decidiu não se lançar candidato.
Mas, à tarde, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura (Ascom) confirmou que o secretário havia sido realmente exonerado. Mas o nome do novo secretário ou qualquer outra informação ainda não poderia ser repassada à Imprensa ainda.
De acordo com uma fonte ligada à Semed, a portaria de exoneração de Ney Caladnrini está datada do dia 4 de abril, portanto, quarta-feira passada.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Voltar pro Tião? Ninguém merece!

Vi a pesquisa do Correio do Tocantins hoje e fiquei pasmo. Tião Miranda com 56% de intenções de voto.
Olha só a desgraça política que está acontecendo em Marabá: estamos debatendo o retorno de Tião Miranda à prefeitura.
Se essa pesquisa estiver certa (e eu acho que não está), é uma prova de que o eleitor marabaense está longe de ter um pouquinho só de confiança política.
"Parece a própria tragédia grega".

Bolsonaro na mira da Comissão da Verdade

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT), enviou para a Corregedoria da Casa pedido da Comissão de Direitos Humanos para que seja aberto processo sobre quebra de decoro parlamentar contra o deputado Jair Bolsonaro (PP). Segundo o deputado Domingos Dutra, presidente da comissão, o deputado Jair Bolsonaro tentou obstruir os trabalhos da Comissão Parlamentar da Verdade que, na terça-feira, ouviu, em sessão fechada, ex-integrantes do Exército que participaram da Guerrilha do Araguaia.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Socorristas do Samu protestam contra falta de estrutura

No início da noite de hoje (2), quase todos os 73 funcionários do Samu em Marabá fizeram paralisação que durou uma hora para denunciar a precariedade do órgão em Marabá.
Das cinco ambulâncias do serviço, apenas uma está funcionando e, ainda assim, precariamente. Este único veículo é responsável pelo atendimento de uma população de mais de 200 mil habitantes, num serviço que recebe 200 chamadas por dia.
Os funcionários do Samu ficaram de divulgar nesta terça-feira (3) uma pauta de reivindicações, que será entregue a várias autoridades, inclusive o Ministério Público.

Manoel da Cosanpa é o pré-candidato do PSOL à prefeitura

Em reunião ordinária do Diretório do Partido Socialista e Liberdade (PSOL), de Marabá, ocorrida no ultimo sábado dia (31), reuniu as três tendências do partido: MES (Movimento de Esquerda Socialista), CST (Corrente Socialista dos Trabalhadores) e APS (Ação Popular Socialista). Durante o encontro, foi escolhido o nome de Manoel Rodrigues, o “Manoel da Cosanpa”, como pré-candidato a prefeito de Marabá, nas eleições de 7 de outubro.
Manoel da Cosanpa é natural de Marabá, membro do Diretório Municipal e Estadual do PSOL, funcionário público, sindicalista, educador, atuou no Conselho Municipal de Saúde de Marabá, Conselho Municipal de Meio Ambiente, Conselho Municipal do Plano Diretor e diretor do Sindicato dos Urbanitários do Pará.
Ele é graduado em Letras pela Universidade Federal do Pará (UFPA) no período de 2004 a 2008, assim como em Ciências Naturais com ênfase em Biologia pela Universidade Estadual do Pará (UEPA).