segunda-feira, 2 de maio de 2011

Hoje o assunto é saúde

Sabe por que as filas no Hospital Municipal são enormes? Porque Marabá não tem investimento decente na atenção básica.
E sabe como se dá essa atenção básica? Por meio das equipes da Estratégia de Saúde da Família (ESF), que são formadas por médicos, enfermeiros, técnicos, agentes e odontólogos.
Essas equipes, que devem funcionar dentro dos centros de saúde, são responsáveis por visitar as famílias de cada bairro, vendo quem deve receber medicamento em casa, quem deve ir para o hospital, quem deve ser transferido do município. Enfim, fazendo uma triagem mesmo.
Pois bem: uma cidade do tamanho de Marabá, com uma população de 233 mil e uns trocados, deveria ter, pelo menos, 93 equipes de ESF, de acordo com projeções do Ministério da Saúde.
Adivinha quantas equipes nós temos em Marabá:
Duas. Isso mesmo: duas equipes.
O mais impressionante é que existem postos de saúde com mais de 80 funcionários. Quem são essas pessoas? O que elas fazem lá?
O que está sendo feito com o recurso destinado à atenção básica?

2 comentários:

Anônimo disse...

Com experiência falo, um dos marcadores de saúde de um município é a quantidade e qualidade de postos de saúde da família. Diante deste caos pergunto, como o municipio está notificando os casos de Diabetes, hipertensão, tuberculose? como está realizando as campanhas diárias de prevenção dos agravos? Prevenção não existe! E ainda querem terceirizar o hospital municipal, quando o problema está na base. Nosso gestor está equivocado ou mal assessorado,
pra não dizer outras possibilidades.

Anônimo disse...

AH! para título de informação, Marabá tem somente 2 ESF e nenhum NASF ( núcleo de apoio ao sáude da família) com médicos especialistas. A saúde pública está um caos. Se a população não reclamar, reivindicar, vai continuar dai pra pior.