segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Simetal denuncia Cosipar à Justiça do Trabalho


Ainda esta semana, o Sindicato dos Metalúrgicos de Marabá (Smetal) deve apresentar à Justiça do Trabalho um relatório com os direitos trabalhistas dos quase 400 funcionários que foram demitidos da Siderúrgica Cosipar, que fechou as portas há duas semanas.
O objetivo é garantir que todos os direitos sejam pagos aos trabalhadores. O sindicato fala até em pedir o bloqueio dos bens da empresa para leilão se for necessário, segundo afiançou Neiba Nunes Dias, presidente do Simetal.
“Se não aparecer verba para honrar os compromissos, serão leiloados os bens da empresa. O que não pode é penalizar o trabalhador, que não tem culpa de nada”, confirma.
Fundada em junho de 1986, a Cosipar é a siderúrgica mais antiga do Distrito Industrial de Marabá. Mas não resistiu à queda no preço do ferro-gusa e promove demissão em massa. Muitos dos metalúrgicos demitidos já têm mais 20 anos de trabalho e temem não receber os direitos devidos.
A direção da empresa ainda não se pronunciou sobre a situação embaraçosa, que envolveria até dívida com fornecedores de carvão vegetal, matéria-prima usada na fabricação do ferro-gusa.

2 comentários:

Anônimo disse...

Chaga você poderia atualizar esta matéria, por motivos, estar prosemo das datas que os avisos prevês, foi determinados pela empresa cosipar. Mais né o sindicato, e né a empresa nos enforma; se vai pagar os nossos direitos? mais que sabe se a vocês da impressa propriamente dito pode enformar algo?

Anônimo disse...

você teria informação atualizada do andamento da ação coletiva dos funcionários da empresa?