quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Pra fazer Justiça


É claro que eu tenho medo de ser processado. E olha que já fui pelo menos duas vezes. Mas eu não posso deixar de jogar um pouquinho de lenha nessa fogueira envolvendo a atual administração municipal e o Poder Judiciário em Marabá.
Sabe o que é? É que é muito curioso (vou usar essa palavra) o fato de o Poder Judiciário ter dado duas decisões em menos de 48 horas, reconduzindo o prefeito Maurino Magalhães ao cargo.
Mais curioso ainda é o fato de que Maurino foi afastado por um juiz substituto, mas não recorreu imediatamente. Ele esperou a juíza titular voltar e no dia que deu entrada no pedido de Retratação, o pedido foi acatado no mesmo dia.
Impedido de assumir por uma decisão da Câmara Municipal, Maurino entrou com Mandado de Segurança para derrubar tal decisão e conseguiu de novo, mais uma vez no mesmo dia.
Detalhe: Maurino foi afastado, primeiramente, por acusação de improbidade administrativa com o dinheiro da saúde.
Detalhe de novo: existem centenas de detentos na penitenciária de Marabá acusados de terem furtado bem menos do que a acusação que pesa sobre Maurino, mas estes ainda não mereceram toda essa celeridade da Justiça.

Um comentário:

Anônimo disse...

A juiza está arriscando a carreira por causa de uma amizade. Ela esquece q onde há jonas, há baleia e há uma mar agitado. Quem se junta a jonas corre o risco de afundar tb. Jonas significa aquele q está fora da vontade de Deus.