sexta-feira, 25 de março de 2011

30 dias de "folga" para Elka passear... ou fazer rally em São Paulo

Conforme previsto, a nobre vereadora Elka pegou suspensão de 30 dias, mas seu gabinete não perdeu o veículo. Ou seja: ela e todos os outros vereadores estão liberados para fazer rally por aí com carro e gasolina pagos com nosso dinheiro.
Hoje eu estou muito cansado - e no fim de semana vou descansar um pouco -, mas na segunda-feira prometo algumas reflexões sobre esse episódio lamentável na política marabanse.
A propósito, vai uma pizza aí?

3 comentários:

Anônimo disse...

Caro Chagas, realmente, a pizza à moda da CMM foi servida aos marabaenses. Que falta de vergonha, e a ética foi mandada para o espaço. Em 26.03.11, Marabá-PA.

Blogue Marabá 2012 disse...

Um mão lavando a outra

"A Câmara fez um excelente trabalho na investigação, mas não aceito a pena colocada porque o veículo não foi utilizado em meu favor pessoal. Quero pedir para vocês repensarem porque hoje sou eu quem está aqui, mas amanhã pode ser um de vocês."

As palavras acima foram ditas pela vereadora Ismaelka após ter sido julgada pela Câmara Municipal de Marabá e ter recebido a severa pena de 30 dias de suspensão do mandato. O que motivou a pena foi o fato do veículo dela ter sido multado quando transitava por São Paulo. Apenas lembrando que o veículo cedido aos vereadores é pago pelo povo e foi disponibilizado exclusivamente para eles utilizarem no dia a dia dos seus trabalhos em prol do povo, e somente dentro do município de Marabá.

Pergunta: Quem é louco o bastante para querer ver a vereador pelas costas diante de um lembrete desses? Ninguém, já que não há relato da presença de loucos naquela Casa.

Para mim, isso não é pessoal, que esperava mais dele por causa de seus discursos em defesa da ética e da moralidade, a maior surpresa foi o posicionamento do vereador Edivaldo Santos (PPS). O cito porque ele se apresenta como a única voz contra as imoralidades que assolam o executivo municipal que tanto denuncia. Ele chegou a usar uma passagem a bíblica que diz: “não julgueis para que não sejais julgados” para defender a vereadora. Justificou o erro dela citando o mal uso dos carros do DMTU, que segundo ele estão sendo usados para outros fins. Aproveitou para intimar os vereadores para investigar os desmandos no DMTU.

E para fechar sua defesa com chave de ouro, alegou que a vereadora usou o carro para transportar uma pessoa doente, o que seria mais do que justo. Finalizou dizendo também que não era a favor do apedrejamento de ninguém, sem lhe dá uma segunda chance.

Será que a condescendência dos “companheiros” é explicada por aquele ditado que diz: “Quem tem U tem medo”?

_________
Adir Castro

Anônimo disse...

Caro Adir, não é lembrete não, é ameaça mesmo, embora velada. E como surtiu efeito, hem ? Em 29.03.11, Marabá-PA.