terça-feira, 16 de outubro de 2012

Lanterna dos Operados



Quando a gente pensa que a saúde em Marabá já chegou ao fundo do poço, acaba descobrindo que o buraco é ainda mais embaixo.
Além da falta de medicamentos e de material; falta de alimentação para pacientes e funcionários das casas de saúde; falta também de pagamento dos plantões dos médicos e demais profissionais, coisa muito pior está acontecendo.
Uma equipe médica que fazia cirurgia no Hospital Municipal de Marabá (HMM) teve de terminar o procedimento usando a lanterna de um aparelho celular, porque o gerador de energia da casa de saúde não está funcionando e faltou energia na hora da cirurgia.
O médico Rodolfo Amoury, do Sindicato dos Médicos do Pará em Marabá, confirma que isso realmente ocorreu. Segundo ele, isso é uma falta de respeito com o paciente e com os profissionais médicos; e também mostra que a situação está ficando cada vez pior na saúde em Marabá.
Amoury, que é irmão do vice-prefeito de Marabá, postou em seu perfil na rede social o seguinte desabafo: “Nada está tão ruim que não possa piorar... Acabei de passar por uma situação, no mínimo, inusitada. Estava operando um paciente quando o fornecimento de energia elétrica foi interrompido e o gerador não assumiu a sua função como deveria. Fiquei por mais de meia hora auxiliado por luzes de celulares, num calor infernal e com a preocupação do efeito anestésico passar devido à demora. Estresse desnecessário, falta de respeito com o paciente e a equipe profissional. Não adianta as elucubrações mentais, cobranças descabidas e planejamentos utópicos se não temos o básico. Tomara que o próximo gestor entenda que para conseguir um serviço eficiente é só dar condições de trabalho e depois exigir trabalho”.

Nenhum comentário: