terça-feira, 10 de julho de 2012

Sem-terra ocupam fazenda improdutiva. Agro Santa Bárbara contesta

A Assessoria de Comunicação do Grupo Agro Santa Bárbara diz que os sem-terra estão agindo com violência; deram ultimato para os funcionários da fazenda deixarem a área até o início desta tarde; e ainda atearam fogo numa área do tamanho de 55 campos de futebol.
Por outro lado, os movimentos sociais, encabeçados pela Comissão Pastoral da Terra, dizem que na fazenda existe crime ambiental. Eles acusam os donos da área de derrubarem castanheiras.
Tanto a Agro Santa Bárbara quanto os movimentos sociais enviaram fotos aos órgãos de comunicação para denunciar os crimes ambientais supostamente cometidos pelas duas partes.
A Agro Santa Bárbara, que admite ter a posse da área, afirma que os funcionários da fazenda estão sem condições de sair de suas casas, incluindo mulheres, crianças e idosos, temem por suas vidas. A alimentação também está terminando.
Por outro lado, a CPT afirma que foi a partir de denúncia feita pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Marabá que a Secretaria de Meio Ambiente de Marabá flagrou a derrubada ilegal de castanheiras na área.
Ainda de acordo com a CPT, a fazenda foi considerada improdutiva pelo Incra, mas como a Justiça Federal ainda não desapropriou o imóvel, os sem-terra resolveram ocupá-lo.


Nenhum comentário: