sexta-feira, 13 de julho de 2012

Crise sem precedentes na prefeitura

Servidores da prefeitura com salários atrasados, fornecedores do município sem receber pagamentos, exoneração de secretário de Finanças e até um pedido informal de cassação do prefeito Maurino Magalhães movimentaram a semana em Marabá.
A crise se arrasta em praticamente todos os setores da administração municipal, principalmente na Saúde. Alguns setores fazem a chamada “greve branca”, em que o funcionário bate o ponto, mas não trabalha. Parece exagero, mas sindicalistas afirmam que tem trabalhador passando fome.
A solução encontrada pelo prefeito Maurino Magalhães foi exonerar o secretário de Finanças, Pedro Freitas, como se este fosse o culpado por tudo. Segunda-feira, ele deve ir à Câmara se explicar.
O "bacana" de tudo é que, em meio a essa crise, Maurino já declarou à Justiça Eleitoral que vai gastar a "bagatela" de R$ 10 milhões em sua campanha rumo a reeleição.

2 comentários:

Anônimo disse...

Agora é tarde a vaca já foi para o brejo .isso aí é jogo de cena . pedrinho saiu por que vai o ser o tesoureiro da campanha dese desestrado .aí vai poder se dedicar em tempo integral .

Anônimo disse...

Estes dez milhões com certeza são fruto de dinheiro desviado da prefeitura!!!!