quarta-feira, 21 de março de 2012

Pense nisso

Quando a Lei Áurea, que aboliu a escravidão no Brasil, foi publicada em 13 de maio de 1888, ela foi precedida, como se sabe, de outras leis, que serviram para amenizar a escravidão, até que ela fosse extinta, por inteiro.
Mesmo assim, os setores mais reacionários da sociedade foram contrários.
Vamos recordar: primeiro veio a Lei do Ventre Livre (1871), que tornava livres os filhos de escravos.
Aí (parece que eu estou vendo), aqueles que eram contrários começaram a protestar, dizendo que aquilo era um absurdo e coisa e tal.
Depois (1885), veio a Lei do Sexagenário, que livrava os negros escravos acima de 60 anos. Também sofreu reações contrárias.
Por fim, veio o golpe: a Lei Áurea, que tornava todos livres. Imagine o tamanho das críticas.
Naquela época, negro não era considerado gente como o homem branco. E mesmo se fosse, no máximo, seria um cidadão de segunda classe.
Caso vivessem na época da escravidão, as pessoas que hoje criticam o casamento gay e outros direitos negados àqueles que estão fora do padrão dito “normal”, provavelmente também seriam contra a abolição da escravidão no Brasil.
Pense nisso e vamos ao debate.

2 comentários:

Prof. Francisco Neto disse...

É verdade meu caro amigo Chagas, mas você esqueceu de dizer que os negros livres, assim dito não ficaram assim tão livres não é mesmo? Pois depois da tal LEI ninguém os queria e preferiam a mão de obra de estrangeiros que era, assim como dizemos: especializadas. Ai meu caro os negros ficaram por ai vagando e esmolando pedindo para seus antigos donos até por amor de Deus que os acolhessem ao menos em troca de comida.... e ai se vai...
Então com relação ao casamento de pessoas do mesmo sexo? fique a vontade, mas prefiro o oposto...
Sem preconceito pois sou amigo de várias pessoas que são gays e já moram com seus parceiro e por sinal vivem muito melhor que outros que conhceço. Abrços e espero ter contribuído..

reporterchagasfilho disse...

Francisco, eu não quis entrar na questão pós abolição (que é raiz também desse abismo social existente no Brasil) porque o tema em debate é o casamento gay. Eu usei o exemplo da escravidão apenas para mostrar como o discurso dos reacionários se repete durante os séculos e para mostrar como as minorias sofrem.
Valeu, obrigado pela participação.
Tamo nessa junto!