segunda-feira, 11 de julho de 2011

Merenda escolar: Prefeito Maurino e secretário Ney Calandrini são denunciados pelo MPF

Segundo o Ministério Público Federal, apesar da existência de um contrato de R$ 73 milhões entre a prefeitura de Marabá e uma empresa para fornecimento da merenda escolar, o alimento muitas vezes não chegou às escolas ou, quando chegou, foi insuficiente, de péssima qualidade e até estragado. Sem a merenda, aulas foram canceladas. Para evitar que isso voltasse a ocorrer, educadores e pais de alunos chegaram a comprar os alimentos com dinheiro do próprio bolso. Para piorar: a prefeitura não fiscalizava o serviço e nem sequer poderia ter contratado a empresa, já que o processo de licitação estava recheado de irregularidades.
Por tudo isso, o Ministério Público Federal (MPF) encaminhou à Justiça Federal na última sexta-feira, 8 de julho, uma ação civil pública em que requer suspensão de pagamentos à empresa, anulação do contrato, restituição de recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e ainda acusa de improbidade administrativa o prefeito de Marabá, Maurino Magalhães de Lima, o secretário de Educação, Ney Calandrini de Azevedo, e as responsáveis pela EB Alimentação Escolar, a empresa fornecedora da merenda.

3 comentários:

CLAUDIMIR FERREIRA DOS SANTOS - PRESIDENTE DO CAE disse...

CHAGAS, ESTE É O RESULTADO DO TRABALHO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA, ATRAVÉS DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR DE MARABÁ - CAE. APESAR DE PERSEGUIÇÕES E CRÍTICAS, DE VARIOS SETORES HIPOCRITAS DESTA TERRA BENDITA...

Anônimo disse...

Ihh se fosse depender desse conselho...Mas pelo que eu sei não foi o conselho que fez a denuncia ao Ministério Público Federal...Foi outra entidade...Em 2009 o SINTEPP acionou o MPF.

Anônimo disse...

Por aqui como nutricionista já estão sendo alvo de assédio moral por não tolerar certas coisas. Estão fazendo falsas acusações e outras baixarias.
Tem muito contratado de x9 nas prefeituras. Um bando de incompetentes!! MINISTÉRIO PUBLICO: ABRE O OLHO !!