terça-feira, 5 de julho de 2011

Elvis não morreu (Wave)

As pessoas que têm fome e sede de Justiça vivem uma luta diária nesse mundo, tentando corrigir pelo menos as pequenas injustiças que nos cercam em nossa rua, no nosso trabalho ou, quando muito, na cidade em que vivemos.
Essa angústia motivada pela busca de dias melhores – não para si, mas para a maioria de nós – acaba nos tirando a capacidade de dispersar. E esse é um exercício importante.
Às vezes, precisamos abstrair, esquecer um pouco que existe um mundo em volta de nós, que está de pernas para o ar.
É preciso sair com amigos e extravasar; dizer muitas bobagens e ouvir outras tantas também. Senão, que graça teria a vida?
Pelo menos por hoje, chega de versos ásperos.
Como disse, sabiamente, Charles Baudelaire, “é necessário estar sempre embriagado. Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude, a vossa escolha. Contanto que vos embriagueis”.
Por tanto, vamos esquecer um pouco dos que morrem de fome nas esquinas da cidade; dos escândalos na Assembleia Legislativa; do Caixa 2 nunca resolvido e de tantos outros males que esbofeteiam nossa dignidade.
Vamos esquecer por um momento, mas apenas por um momento, para depois voltarmos com nossas almas renovadas.
Vamos!

2 comentários:

Anônimo disse...

Meu caro Chagas,antes de entrar propriamente no assunto, quero fazer uma rapidíssima digressão em torno do que creio sejam básicas de condução de opinião. Admiro naturalmente o seu idealismo com vertente de ideologia.Vamos ao assunto, só não creio no seu realismo.Acredito que temos sérios problemas NÃO TÃO PIORES como opiniões que não convencem!!!

reporterchagasfilho disse...

Eu só publiquei o comentário acima pra mostrar como tem gente que tem capacidade de escrever sem dizer nada. rsrs
É isso.