quarta-feira, 22 de junho de 2011

O pacto

Não foi uma e nem duas vezes que representantes de entidades em Marabá denunciaram a insubordinação de alguns secretários municipais em relação às ordens do prefeito Maurino Magalhães.
Interessante é que essas reclamações são direcionadas a secretários que já estavam no cargo desde a época em que Tião Miranda era prefeito.
Já houve caso em que um secretário simplesmente rasgou um ofício assinado por Maurino (determinando realização de obras), jogou o papel no lixo e mandou os contribuintes irem se queixar para o próprio gestor.
Dizem por aí que isso tudo tem uma explicação... bem lá atrás... mais especificamente em 2005.
Naquela época, o então prefeito Tião Miranda foi cassado e Maurino Magalhães (que era presidente da Câmara) assumiu a prefeitura e nela ficou durante cinco meses e alguns dias.
Nesse período, ele conseguiu angariar a “simpatia” de muitos secretários que já tinham determinado “status” na prefeitura e que foram mantidos no poder depois que Maurino foi eleito prefeito, em 2008.
Agora, o gestor parece não ter poder sobre tais secretários. Eles conseguem ser mais reais que a realeza.
É isso. Essa é nossa Marabá, “terra bendita”, “relicária” e “graciosa”.

Um comentário:

Anônimo disse...

Outro caso de insubordinação escandalosa acontece na semed.
O secretário de educação quem menos manda é o nei calandrine,tanto que ganhou o apelido de nei caladinho.
Os diretores de escolas e departamentos ja fazem documento direcionado para rosicleide ou disnei, pois são os dois que mandam.
Chagas neste caso eles também conseguem ser mais reais que o rei.