sexta-feira, 8 de junho de 2012

PT confirma apoio a João Salame




Na tarde de quinta-feira (7), no auditório do Campus I da UFPA, aconteceu Plenária Eleitoral do Partido dos Trabalhadores, que aprovou apoio à pré-candidatura do deputado João Salame (PPS) à prefeitura de Marabá.
“Pela primeira vez nos 29 anos de história do PT de Marabá, aprovamos um resolução por unanimidade, sem nenhum voto contrário e nenhuma abstenção”, disse Luiz Bressan, presidente do partido.
Por outro lado, a deputada Bernadete ten Caten disse que na política é necessário se basear nos números e neste momento o nome de João Salame é o mais bem colocado. “O melhor nome para ser nosso candidato a prefeito é João Salame”, declarou a deputada.
Por sua vez, o deputado João Salame disse que se sente honrado em receber o apoio de um dos maiores partidos do País, que é o PT. “Isso significa que a nossa pré-candidatura tem musculatura. Um partido como o PT jamais apoiaria uma candidatura do PPS, se não tivesse chances reais, até porque o PPS, em nível nacional, é oposição ao governo do PT”, explicou o pré-candidato.
Ele afirmou que a luta agora é para agregar mais partidos em torno de um projeto político para Marabá. “Nosso objetivo é formar uma ampla frente que tenha por objetivo uma administração séria, competente e que dialogue com a sociedade e não tenha medo de conversar com o povo para poder definir prioridades e fazer uma renovação na política de Marabá, que é o que nós estamos precisando”, arrematou.
Durante a plenária, o nome de Luiz Carlos Pies foi indicado para ser o vice de Salame. A indicação é vista com bons olhos pelo deputado, mas ele pondera que isso ainda será debatido entre os partidos que compõem a frente.
Luiz Carlos, por sua vez, também destaca a unanimidade das cinco tendências do PT em apoiar Salame e diz que o interesse é fazer um bom governo com capacidade de gestão e principalmente com a participação popular, de forma democrática. “N[os identificamos esse perfil no João Salame”, declarou Luiz Carlos.
Ele lembrou que a participação do PT na administração municipal é importante até para dar continuidade à luta pela criação do Estado de Carajás, cuja coleta de assinaturas para Projeto de Lei de Iniciativa Popular continua a todo vapor.
A Plenária Eleitoral contou com a presença de mais de 200 filiados das quatro tendências: PT Pra Valer, Unidade na Luta, Democracia Socialista e AS.
Além dos petistas, participaram da reunião representantes do PDT, PMDB, PV e PMN.
O lançamento da frente, envolvendo o PPS, PT, PMDB, PDT e outros partidos, está agendado para o próximo dia 15, na Câmara Municipal com a presença de várias lideranças políticas de todo o Estado.

8 comentários:

Anônimo disse...

O Salame nem bem eleito foi é já vende o voto do marabaense, como mostra na coluna Repórter Tocantins, do dia 9/11:

“Salame já estaria negociando junto aos Barbalhos nos últimos dias, principalmente tentando convencê-los de que o seu rompimento com Simão Jatene para valer e que é o único que poderia, como prefeito de Marabá, dar amparo e apoio a Helder na sua pretensão de se eleger governador em 2014.”

Ou isso é mentira do Correio?

reporterchagasfilho disse...

Amigo anônimo, não posso avaliar se o Correio está falando a verdade ou não. O que sei é que o jornal está cumprindo sua função. Cabe a cada leitor interpretar o que lê e tirar suas conclusões. Mas eu não considero essa possível aliança como uma traição ao povo de Marabá, não. Pelo contrário: errado seria se o Salame neste momento estivesse buscando apoio do Jatene, como fez o outro candidato. Aliás, se surgir um nome de peso para bater de frente com Jatene na próxima eleição, eu voto nele.
E quanto ao Salame, ele está certo em fortalecer a terceira via para tentar pôr um fim a essa Capitania Hereditária, que é a política de Marabá.
Força Salame!
23 sempre!

Anônimo disse...

Qual a diferença entre fazer acordo político com Jatene ou os barbalhos? Nenhuma. Agora Salame afirmar com todas as letras, segundo o Correio, que é o único que poderia, como prefeito de Marabá, dar amparo e apoio a Helder na sua pretensão de se eleger governador em 2014, deixa bem claro que ele já está vendendo os votos, que diga-se de passagem, não são deles. Ele tem somente um voto, mas promete mais votos para os barbalhos. Tá fazendo o mesmo que Maurino fez quando candidato: foi beijar a mão de Jader, tanto que Asdrúbal renunciou. Creio que não tem muito o que interpretar neste texto. Tá tudo bem claro. E aí vem outra questão: é quanto ao número de afilhados que estarão sendo alocados na administração municipal, haja vista que todos os partidos dessa aliança, cinco ao todo, tem os seus inúmeros afilhados, cujos elementos eles terão que arrumar emprego, pois sem eles não tem eleição, certo? Quer dizer, o número de afilhados de Maurino vai sumir, diante do número de afilhados dessa aliança dos cinco. É sempre assim: o que entra se torna pior do que o que sai. Por que? Por causa dessas alianças. E outra coisa importante: se estão dizendo que Tião é do NÃO, o que o Salame tá fazendo junto ao PT e aos barbalhos, já que ambos, declaramente, foram contra a divisão do estado? Dá pra entender isso não! Ou VALE TUDO pelo poder? Se tá valendo tudo, o discurso da mudança é mais um engodo.

Anônimo disse...

Ei Chagas, não concordo com tua defesa, mas compreendo. Creio que todos quantos leem esse teu texto.

reporterchagasfilho disse...

Amigo anônimo, muito pertinentes seus comentários. Agora, vamos lá:
1) Se o João está fazendo alianças, ele não é o único. Todos os candidatos fazem (inclusive o Tião). Então qual é a solução? Não votar em ninguém?
2) Se o João vai colocar apadrinhados na prefeitura, será que o Tião não vai? Quer dizer que uns podem e outros não? Também sou contra o apadrinhamento político, mas isso existe em todas as esferas de poder e não seremos nós dois que vamos acabar com isso.
3) Outra coisa: até onde eu sei o pessoal do PT de Marabá foi a favor da criação do Carajás. Tem mais: o próprio Jader Filho deixou os funcionários do Grupo RBA em Marabá à vontade em relação a essa questão do Carajás. Eu sei porque eu estava lá e ouvi ele falando.
4) Agora, se vc prefere o Tião ou o Maurino e o Jatene, eu respeito sua opinião. Mas não vem com essa de falso moralismo.
Aquele abraço.

Anônimo disse...

O anônimo confunde alho com bugalhos. A maior aliança em torno de uma candidatura a Presidência nacional, foi a última em torno de Dilma, pela sua ótica, seria uma catástrofe o governo (longe disso, teve uma aceitação histórica da população).
Querer imputar a Salame comportamento político similar ao de Jader é de uma “leseira ímpar”. Vejamos: Quem dos nossos deputados assinou a CPI da Assembleia legislativa? Quem foi favorável à criação de Carajás? (Lembre-se, um político é um representante do povo, não de sua cabecinha. Caso queira defender só seu pensamento, declare independência em seu bairro). Qual político vem sendo perseguido pelo governo do Estado, por não ter sido subserviente, e ter defendido Carajás? O PT de marabá votou no sim, o único partido na região que foi contrário foi om PSOL, e a única personalidade política de Expressão foi o Tião.
Quanto a cargos comissionados, eles têm previsão na constituição, logo, não é crime. Apoio não significa ter secretaria, Maurino foi eleito e deixou quase todo o secretariado do Tião. Como vê, amigo, alhos não são bugalhos!!

Anônimo disse...

reporterchagasfilho disse...

Meu amigo anônimo (ele sabe quem é) mandou um comentário dizendo que não vai votar em ninguém. Mas eu exclui o comentário sem querer e (juro por Deus) não consigo mais colocar de volta. Se o amigo tiver a gentileza de reenviar o comentário, eu agradeço.
At.
Chagas Filho.