quinta-feira, 26 de abril de 2012

Operação Fio de Ouro: Ministério Público investiga mais fraudes na prefeitura

Neste momento está em curso mais uma operação do Ministério Público que visa descobrir fraudes supostamente praticadas por agentes da Prefeitura de Marabá.
Desta vez o MP se concentra na Comissão de Licitações da Prefeitura, que funciona no prédio do Saci, e novamente na sede da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin).
Trata-se da “Operação Fio de Ouro”, que busca investigar altos montantes de dinheiro empregados na realização de cursos de cabeleireiro, manicure e corte e costura, como forma de qualificar a mão de obra local.
A fraude, segundo apura o Ministério Público, consiste no fato de que alguns desses cursos nunca teriam sido ministrados, enquanto outros estariam superfaturados.
A responsável pela realização dos tais cursos é a Empresa Dirceu Erênio Pedras, que funciona na Avenida 5 de Abril, Marabá Pioneira, e o recurso é oriundo da Secretaria Municipal de Ações Comunitárias.
De acordo com uma fonte ligada ao MP, somente no ano passado foram aplicados R$ 6 milhões nos tais cursos profissionalizantes. Para este ano já estão licitados R$ 4,5 milhões.
Ainda segundo a mesma fonte, cada curso estaria avaliado em R$ 19 mil, mas o preço de mercado fica em torno de R$ 5 mil.
Agora o Ministério Público quer que a prefeitura comprove a realização dos cursos por meio de nome e endereço completo dos beneficiados, além de fotos da entrega dos diplomas.
E neste momento o Ministério Público está recolhendo todo tipo de documento que possa comprovar algum indício de fraude.

2 comentários:

Anônimo disse...

parece que por baixo da cobertura do bolo bonito, o que vao achar e um monte de ratos e ratazanas que se apressam para roerem o que puder ate o final do mandato. so que eu tenho a impressao ou desejo de que a ratoeira desarme antes disso. Corram para boca dos esgotos senhores representantes da justica por que vai correr muito bicho abaixado!!!!

Anônimo disse...

O apetide pelo dinheiro "fácil" pelo gestor municipal e alguns dos abençoados, denominados "comissão de gestão" vão deixar cicatrizes profundas nas finanças de Marabá. Não sobra dinheiro para pagar fornecedores,primeiro pelos mais de 2 mil fantasmas da folha de pagamento. Segundo pelo desvio escancarado para custear sua manutenção no poder. Terceiro pelos acordos escusos com empresas de outras localidades que o prefeito trouxe para "dividir o bolo" e tão logo ele saia da prefeitura desaparecerão no mapa. Basta buscar infomações no portal da transparência da prefeitura.Não publicam tudo, mas o pouco já faz arripiar a espinha. E tem ainda a cara de pau de se dispor a pleitear mais um mandato. Haja estomago!