segunda-feira, 25 de abril de 2011

“Que País é esse?”

Acabo de chegar à conclusão de que o Brasil não tem jeito mesmo. Só se a gente “explodir” tudo e começar de novo.
O que me fez chegar a essa conclusão tão radical foram dois fatos que ocorreram esta semana.
Primeiro: o ex-prefeito de Itupiranga, Adécimo Gomes, respondia a processo por não ter prestado conta de recursos federais no valor de R$ 853 mil, que seriam destinados à educação, no ano de 2008.
Pois bem, Adécimo conseguiu um acordo chamado de Suspensão Condicional do Processo, por meio do qual ele fica obrigado a comprar 11 cortinas e oito pneus de caminhonete para doar a duas entidades de Marabá, num total que não chega a R$ 7,5 mil.
Além disso, ele não poderá se ausentar da Comarca de Marabá por mais de 30 dias sem comunicar à Justiça e durante os próximos três anos terá de se apresentar à Justiça trimestralmente.
Agora veja: esta semana uma mulher foi apanhada tentando furtar dois peixinhos num supermercado da cidade. A divinha o que aconteceu com ela: foi presa.
Como pode nossa Justiça ser tão incoerente?
Quem deu mais prejuízo? O ex-prefeito que não prestou conta de quase um milhão? Ou a mulher faminta?
Qualquer palavra indignada que eu usar para descrever essa situação será muito suave.
“Que País é esse?”

6 comentários:

Anônimo disse...

o problema aí não está no adecimo, mas sim em quem o julgou e condenou com tão severa penalidade.

e o crime compensa? talvez sim, ou talvez sim.

Anônimo disse...

Caro Chagas, como se diz "já jogastes a toalha" e entendo. A nossa indignação é constante e diaria, relativa à fatos de desvios por autoridades, de dinheiro público. Realmente "são 2 pesos e 2 medidas" usadas para tipificar e condenar 2 pessoas pelo mesmo crime : Furto. Um (a mulher pelos peixes) e outro, diga-se de passagem - realizado com plena consciencia - pelo agente público e, pelo visto, com a anuencia e/ou conivencia de autoridade mjudiciaria. É o fim da picada. Mas, não percamos "a fé" em que um dia essa situação mudará. As eleições municipais estão próximas, e já antecipo meu voto para prefeito : Dr. Jorge Bichara Neto (PV). Será a única opção para que possamos moralizar a administração pública neste querido município. Pessoa que ama sua terra natal, e, antes de mais nada, honesto e serio. Em 25.04.11, Marabá-PA.

Ademir Braz disse...

E o rombo, Chaguinha, foi no Itupiranga enquanto os beneficiários do faz de conta das cortinas(?)e dos pneus são de Marabá!
Que qué isso!!!???

Anônimo disse...

o pv vai de coligação, provavelmente com tiao a quem todos já consideram eleito prefeito em 2012. o pv de marabá é fisiológico demais pra tentar candidatura própria. anotem o que estou dizendo e depois joguem na minha cara se estiver errado.

Blogue Marabá 2012 disse...

A DESINFORMAÇÃO É O MAIOR TRUNFO DOS MAUS POLÍTICOS

Fiz uma simulação de intenções de voto para as eleições municipais de Marabá. Dessa vez utilizei um formulário com algumas questões. As perguntas com seus respectivos percentuais de respostas estão no blogue http://maraba2012.blogspot.com

Pelas respostas percebe-se que a maior parte dos internautas estão acompanhando atentamente as especulações quanto a eleição de 2012.

Dos que responderam, 91% pretendem votar em 2012.

Em relação a lista de nomes que coloquei como supostos candidatos a prefeito, Tião Miranda tem 24% de intenção de votos, o que coloca os demais fora de combate, já que eles ficaram entre 0% e 12%. Nesse cenário Tião Miranda seria eleito com folga.

A surpresa foi a opção NENHUM deles que obteve 29% e OUTRO NOME que surgir com 3%.

A última questão diz respeito a candidatos financiados, onde 70% dos internautas disseram que não votam em tais candidatos.

Há de considerar o pequeno número de questionários que foram respondidos e também o fato de ter sido feito com pessoas que tem computadores, acesso a internet e devem ser leitores das mais variadas literaturas na rede. São, digamos assim, mais informados e esclarecidos, principalmente em relação ao último quesito.

Estou fazendo essas mesmas perguntas nas ruas e já vi uma grande dificuldade nas pessoas: a maioria desconhece o que seja financiamento de campanha. Em geral os entrevistados são autônomos, empregados do comércio, estudantes e que têm o curso médio completo. A faixa etária varia.

Fica difícil expulsar aos que promovem e patrocinam a corrupção nesse país, quando a maior parte da população é completamente desinformada.

_________
Adir Castro

reporterchagasfilho disse...

Um recadinho para o amigo das 7h25, como é que nós vamos jogar alguma coisa na sua cara, se vc não tem cara, não tem coragem; se esconde, de forma covarde, no anonimato? Me diga.