quinta-feira, 7 de abril de 2011

“Cidade Nova Marabá Velha”

Por André Alho.

“Em quantas faces te apresentas a tantos visitantes, enteados, filhos teus.
Molda-te a cada dia ao sabor das correntes cada vez mais variadas.
Mas, apesar de a transformação ser parte importante da tua identidade, saiba que, para mim, será sempre a mesma, assim como as águas dos teus rios, sempre outras águas, sempre os mesmos rios.
Falam de ti, falam da minha Marabá, da Marabá da minha infância, das ruas, das praças, dos rios nos quais me criei. E falam com tamanha propriedade que chega a me causar ciúmes e com tamanha avareza, que me consome a preocupação.
O que farão te ti? Com que propósito? Com quais preocupações e responsabilidades?
Espero ver-te sempre como minha Cidade Nova Marabá Velha.”

O autor desta obra de arte é médico, filho de Marabá, dono de uma das almas mais gentis que já conheci.

Um comentário:

Anônimo disse...

Comungo dos mesmos sentimentos em relação a minha terra querida. Parabenizo o autor e conterrâneo André Alho. Também tenho ciumes ao ver tantas demonstrações e juras de amor de tantos e também me pergunto: será mesmo? o que farão de ti, Marabá?