segunda-feira, 11 de abril de 2011

O ranço

Por meio do site “www.militar.com.br”, uma súcia de reacionários quer, por fina força, tirar do ar uma novela do SBT denominada “Amor e Revolução”, só porque a produção escancara as atrocidades cometidas no Brasil durante o Regime Militar.
E o que há para ser lembrado do Regime Militar que não sejam as desumanidades praticadas por homens que pareciam não ter nada no peito e nem no cérebro? O que há além disso?
Na verdade, os que defendem o Regime Militar – e principalmente os que participaram dele – não querem a divulgação de nada. Assim como não abrem os arquivos, exatamente para que a verdadeira história não seja contada.
O Brasil precisa começar a mudar seu comportamento em relação a esse capítulo grotesco de nossa história.
Até hoje, muitas pessoas (muitas mesmo) temem tecer qualquer tipo de comentário que vá de encontro ao Regime Militar, temendo represálias.
Isso precisa acabar. O medo que governou este país durante mais de duas décadas precisa chegar ao fim.
Chega de vozes abafadas, chega de porões, chega de medo, chega!

2 comentários:

Zé Dudu disse...

Meu caro, radicalismo nunca levou a nada. Sou totalmente contra as barbaridades que se sucederam com o regime militar em relação a ditadura, todavia, como você perguntou, poderemos lembrar algumas obras realizadas durante este mesmo regime opressor: a ponte Rio-Niterói; hidreletrica de Itaipú;
usinas nucleares de Angra dos Reis;
Rodovia Transamazônica; modernização dos portos e aeroportos;Rodovia Cuiabá-Santarém.

reporterchagasfilho disse...

Em primeiro lugar, gostaria muito de agradecer sua participação no meu blog. Saiba q me pauto muito em vc. Abro todos os dias.
Mas, em relação ao Regime Militar, sou obrigado a discordar do amigo. A discussão é longa e merece mais capítulos.
Nenhuma grande obra justifica o terror e a injustiça impostos por aquele regime.
É isso.
Aquele abraço.