sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Dia 12, prometo

Vou falar o que eu penso sobre a reorganização territorial do Pará no dia 12. Fiz um compromisso com um grande amigo que não tocaria neste assunto até passar o plebiscito e vou manter minha palavra.
Por enquanto, quem estiver em dúvida, assistam jornais, leiam livros, escutem o rádio, acessem a Internet, conversem com as pessoas e consultem suas consciências.
Aquele abraço.

8 comentários:

Ademir Braz disse...

Caro:
Se são informações que possam vitalizar o SIM, não as esconda. Eu respeito a fidelidade a seu amigo, mas devo lembrá-lo que ele não está acima do interesse coletivo.
Um abraço

Anônimo disse...

Entendo!!! Só acho que tanto o sim quanto o não estão sem argumentos! O sim só fala em estradas, quando a população carente quer apenas uma mesa farta!! E o não que diz tanto se preocupar com o Pará, e na verdade teve todas as oportunidades para fazer alguma coisa e nada foi feito!!!!!Ah que coisa cruel políticos sem compromisso!!!

Anônimo disse...

Que pena meu amor,
não poder se manifestar sobre o assunto, mas diante do empasse em falar, pude concluir que é contra!!!!! Até dia 12!!!!

reporterchagasfilho disse...

Olha só. Eu sou contra, mas não pelos mesmos motivos idiotas do pessoal de Belém, da campanha do Não lá.
Eu penso que num outro momento a divisão seria perfeitamente viável. mas nesse momento não, por uma série de motivos que vou esclarecer dia 12. Aquele abraço.

Anônimo disse...

Pois bem o momento é esse temos que votar no sim! Isso é o melhor e vc como alguem influente poderia nos ajudar nessa campanha a favor do sim!! Chega de Fafa forçar o choro, Ganso e Dira Paes implorar pelo não, todos na verdade querem o não! No entanto nem aqui vivem!!! O doutor Sócrates sim era um homem de visão!!!!!!

reporterchagasfilho disse...

Na verdade, a criação de novos Estados para melhorar a vida das pessoas que vivem em regiões esquecidas pelo poder público é uma teoria que pode dar certo, mas pode também não dar. Nesse momento, isso parece ser a saída para a maioria das pessoas. Mas, independentemente de qualquer coisa, não temos o direito de tratar mal ou mesmo agressivamente as pessoas que são contra. Vivemos numa democracia onde todos precisam ser respeitados.

claudio disse...

O problema, nobre Chagas, é que esse momento demorou mais 30 anos para se viabilizar. Políticos corruptos, desonestos, são alvos fáceis em nosso cotidiano. Pelo simples motivo de que, a população É CORRUPTA. Não cobra seus políticos por ações coletivas, mas sim, por favorecimentos pessoais (emprego, receita médica, passagem de ônibus, patrocínios escusos ou não...). Entre outros. Mas você, eu e outros tantos, podemos mudar essa realidade. Isso também é um fato.
Essa é uma oportunidade única que estamos vivendo. O desmembramento não foi insucesso em lugar nenhum. Amapá, Tocantins, Mato Grosso. Por que há de ser aqui? Será que somos tão inúteis ou despreparados? Respeito sua opinião, só acho que em um futuro bem próximo o arrependimento virá. Contudo, será tarde. Uma próxima vez levará mais de meio século. Disso tenho convicção. Outros projetos tramitam no congresso a respeito desse mesmo tema. Passando nossa vez, será a oportunidade de outros terem o direito de ver sua matéria apreciada. Existem momentos na vida que não retornam. Talvez esse seja um desses, e você poderá não ter sua redenção.
Palavras de um admirador de seu trabalho.

Ademir Braz disse...

Esta sua de tucano pousado no topo da montanha é ótima, Chaguinha.
Desce daí!