quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Chama os sem-terra aí!!

Tão acostumados a desocupar rodovias, ferrovias, fazendas e áreas urbanas invadidas por “desordeiros”, agora os policiais militares paraenses sentem na pele a dor dos gritos lançados no “ouvido de mercador” do Estado.
Nunca imaginei que fosse viver para presenciar este momento: policiais (à paisana) interditando a rodovia em protesto por seus direitos. Logo eles que sempre pareceram tão alheios a esse tipo de reivindicação.
Não posso negar que gostei de vê-los ali, fazendo parte de uma luta que já vem sendo travada há décadas pelas minorias sempre reprimidas por esta mesma polícia, que agora exprime a sua dor de forma tão vívida.
Antes desse protesto eu nunca havia cogitado a possibilidade de a Rodovia Transamazônica ser sitiada pelos homens que sempre foram encarregados de desocupá-la.
Certa vez um policial me disse que o protesto dos sem-terra deveria ser feito dentro dos matos onde eles vivem e não na cidade atrapalhando o “direito de ir e vir” dos outros.
E agora? Deveriam os policiais limitarem suas manifestações aos quartéis onde trabalham?
Viu como dói.

5 comentários:

Anônimo disse...

A diferença, meu caro, é que quando o policial está trabalhando ele põe a própria vida em risco por uma miséria de salário para, muitas vezes, ajudar os outros.

A reivindicação policial é justa e, além do mais, desobstruir rodovias faz parte do trabalho deles. Já o MST quando invade as ruas só atrapalha a vida das pessoas e, ainda por cima, usa seus interesses em troca de "favores" políticos que atendem, por sua vez, aos interesses da elite pseudo-esquerdista que se apoderou do poder nos últimos anos. Em miúdos; o MST é uma simples massa de manobra altamente subserviente.

Quantos assentamentos fantasmas existem por aí e não estão sendo devidamente ocupados por esses idiotas do MST. A maioria só pega a terra pra passar adiante, como se fosse deles a posse.

Acho que você foi infeliz em sua comparação, embora tenha que respeitar sua opinião.

Olavo Jorge.

Anônimo disse...

"Mas o mundo gira..o mundo é uma bola"

reporterchagasfilho disse...

Obrigado pela sua sinceridade, caro jorge, mas o que está em debate aqui não é a safadeza individual desse ou daquele membro de determinada instituição (seja polícia ou mst).
Outra coisa, se no MST existem muitos "podres", imagine na polícia.
Como disse o padre Antônio Vieira, "São só ladrões, diz o santo, os que cortam bolsas ou espreitam os que se vão banhar, para lhes colher a roupa: os ladrões que mais própria e dignamente merecem este título são aqueles a quem os reis encomendam os exércitos e legiões, ou o governo das províncias, ou a administração das cidades, os quais já com manha, já com força, roubam e despojam os povos. — Os outros ladrões roubam um homem: estes roubam cidades e reinos; os outros furtam debaixo do seu risco: estes sem temor, nem perigo; os outros, se furtam, são enforcados: estes furtam e enforcam."

Márcio Holanda disse...

Ao caro Jorge; entendo que não deve haver dois pesos e duas medidas quando qualquer classe luta por seus direitos. Ao nobre escritor Chagas Filho, confesso que a cada dia passo a admirar tua visão extremamente necessaria e coerente a respeito da sociedade. Ao jorge quero destacar q o Chagas em minuto algum criticou a manifestação da polícia, pelo contrário, ele enalteceu a atidude legitema manifestada pelos militares.

Anônimo disse...

Caro Olavo Jorge. Primeiro lugar: Nao ha diferença quando se luta por melhores salários e quando se luta pra se ter o mínimo que são condições de vida melhores, direitos sociais constitucionalmente garantidos por lei para TODOS, pelo "Estado de bem estar social". 2º meu caro, se eles (os sem terra) não OCUPAREM as ruas ou outro local onde possam ser notados, onde eles vão reivindicar? no INCRA? a HISTÓRIA TEM MOSTRADO QUE QUE NÃO FUNCIONA. 3º MEU CARO, CHAMAR DE IDIOTA ESSE MOVIMENTO QUE VOCÊ NEM CONHECE, OS PRINCIPIOS, A LUTA, E OS DIREITOS HISTORICAMENTE CONQUISTADOS, SÓ MOSTRA QUE VOCÊ NÃO TEM CONHECIMENTO DA LUTA E PIOR, DESCONHECE O QUE SIGNIFICA UM ATO POLÍTICO. E POR ÚLTIMO, PESSOAS SEM CARATER TEM EM TODOS OS LUGARES, naõ só NOS MOVIMENTOS SOCIAIS , NAS IGREJAS, NAS FAMÍLIAS E EM TODAS AS ESFERAS DA SOCIEDADE.

Chagas, parabéns pelo seu posicionamento. Cada dia te admiro mais. Gil Santos.