quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Marabá: Quase mil contratados já foram demitidos


O novo gestor municipal, João Salame, confirmou que já demitiu 980 funcionários contratados, gerando uma economia de mais de R$ 1 milhão na folha de pagamento. Por outro lado, afirma não ter contratado nem 100 novos servidores ainda.
A idéia dele é mesmo enxugar a máquina e, para isso, afirma que está travando uma verdadeira quebra de braço, pois os pedidos de emprego não param de chegar a sua porta.
João Salame disse que acha legítimo que as lideranças políticas e comunitárias – principalmente os que trabalharam na campanha com ele – se coloquem à disposição ou indiquem nomes para compor a atual gestão, mas ele observa que o momento ainda não é propício.
Ele quer até criar um projeto de lei e encaminhar para a Câmara no sentido de diminuir o número de contratações e de portarias na prefeitura.
Segundo João Salame Neto, o que vinha acontecendo era que 90% dos recursos do município estavam sendo direcionados a contratações de apadrinhados políticos e meia dúzia de empresários, os quais representam 3% da população. Em contrapartida, os outros 97% da comunidade estavam tendo direito a apenas 10% dos investimentos do município. É esta realidade que ele quer mudar.

6 comentários:

Anônimo disse...

Tá, a gente acredita que mais de mil não serão contratados.

Anônimo disse...

Muito boa a ideia, porém o apadrinhamento esta acontecendo sim, pois sou servidor público e já tem vários contratados para ficarem encostados.

Anônimo disse...

Chagas com relação a cortes de gastos na prefeitura o prefeito vem enxugando GELO, cade as reduções de secretarias? por que ele nomeou os secretarios adijuntos, se toda a população de Maraba ja sabia que isto era só cabide de emprego politicos, demitir um gari ou um porteiro é facil, dificil é demitir secretarios dos cargos criado por Maurino.

Anônimo disse...

Vai ser mais um diario oficial agora?

reporterchagasfilho disse...

Diário oficial é? rsrsrsr não não.

Anônimo disse...

Chagas quem viver veras.